Editorial

Encerrando mais um semestre de atividades, a Revista Aproximação lança sua oitava edição, que acreditamos ter sido uma produção especial. Realizada em um período de renovação da comissão editorial, a revista de 2014.2 foi, na verdade, uma coprodução entre comissões: a agora já antiga e a nova comissão, que a partir de agora assume definitivamente a revista. Gostaríamos de agradecer, primeiramente, ao corpo editorial que agora se despede pela iniciativa e esforço de resgatarem e reativarem a Revista Aproximação, após longos períodos abandonada. Agradecemos também pelo cuidado e suporte oferecido durante o período de transição, que garante a continuidade das atividades da revista. O novo corpo editorial gostaria de reforçar a importância deste espaço de publicações para graduandos e afirmar seu compromisso com a missão desta revista: a de ser o “princípio daqueles que principiam”.

Agradecemos a todos os professores e doutorandos que gentilmente aceitaram o nosso convite e colaboraram com a seleção dos artigos.

Nesta edição, conseguimos contemplar uma grande variedade de temas e filósofos. Andréa Alves de Abreu traz uma leitura da caracterização cartesiana das paixões, tentando demonstrar como podemos atribuir intencionalidade à sua função cognitiva. O graduando Guilherme Celestino resgata a análise marxista sobre produção cultural e sua dimensão ideológica através de sua recepção pelos pensadores da Escola de Frankfurt, indicando a necessidade de atualização de alguns conceitos para que se tornem adequados ao contexto atual. Em seguida, Camila Gonçalves Curado traça uma relação entre a concepção de natureza de Heráclito e a dialética de Hegel, afirmando a última como um novo método para se pensar a realidade. Em seu artigo sobre o aborto, Camila Pilotto Figueiredo apresenta suas reflexões acerca das perspectivas de John Finnis e Robert George sobre o status moral de embrião. Para os estudiosos de Russell, apresentamos o artigo de Vinicius de Miranda Leite, sobre o elogio ao ócio. A articulista Marina Trigo Matos discute a concepção de amor como busca pela “cara metade”, através da leitura do Banquete de Platão, com foco no discurso de Aristófanes. Elis Bondim nos presenteia com uma introdução à Ética a Nicômaco de Aristóteles. Por fim, o graduando Julio Tomé enriquece a edição com seu artigo sobre o conceito de justiça no Leviatã de Hobbes, discutindo termos como Estado, Lei, Soberano, e seus significados. E ainda contamos com o artigo de Gustavo Bertolino Ferreira, ainda de nossa parceria com o X Seminãrio de Graduação em Filosofia da UFRJ, que tendo como referência autores como Kant e Rawls, sustenta a tese de que se o estado viola direitos do indivíduo não há legitimidade no contrato entre ambos. Boa leitura!

Comissão Editorial - Revista Aproximação.

Artigos

A intencionalidade das sensações em Descartes - Andréa Alves de Abreu

Estética e ideologia no marxismo - Guilherme Celestino

Do princípio heraclítico: o início dialético - Camila Gonçalves Curado

O Estado enquanto violador de direitos - Gustavo Bertolino Ferreira

Status moral embrionário e aborto: uma perspectiva da nova teoria do direito natural - Camila Pilotto Figueiredo

Bertrand Russell: o elogio ao ócio - Vinicius de Miranda Leite

A ilustração literária do Eros aristofânico no Banquete de Platão: a eterna busca pela cara metade - Marina Trigo Matos

Introdução à virtude na Ética a Nicômaco de Aristóteles - Elis Bondim

O conceito de justiça no Leviatã de Thomas Hobbes - Julio Tomé

 

(Clique aqui para baixar a edição atual completa)